Dita "Meditação Anciã"

Escrito por Ruy Belo, Meditação Anciã foi o poema que Guilherme Gomes escolheu para dizer no seu projecto e para o qual me convidou como realizador. O resultado é algo diferente dos restantes, mas o objectivo foi o de nos mantermos fieis tanto à visão de cada um, como à do poema. Podem vê-lo aqui



03 Ago. 2014

Os Lavoisier encheram as medidas do Musiquim

O Musiquim, projecto que criei à mais de quatro anos com o intuito de divulgar a música portuguesa, filmou a semana passada o seu 47.º projecto. Foram os Lavoisier quem aceitou o convite de ir até a cave de um centro comercial ocupado de lojas vazias e interpertar duas cantigas. O talento do casal trouxe uma nova vida àquele espaço, mas o melhor é ver

31 Ago. 2014


Histórias Incendiárias viajam até Lisboa

As Histórias Incendiárias, uma peça de teatro que co-criei com Patrick Murys por ocasião do festival Viseu A... irá estar em Lisboa, no Festival Todos, nos dias 13 e 14 de Setembro, no Desassossego Bar (na Rua de São Bento, n.º34). A peça que fala de como um fósforo pode conter todas as nossas lembranças, os sonhos que vivemos e nos restam viver, sai pela primeira vez do distrito de Viseu para se apresentar na capital. Lá poderão ver o que resulta quando se junta um actor e um videasta para contar quais as histórias que nos incendeiam e se incendeiam.


06 Set. 2014

Fotografia 'Restos'
Fotografia '8,98€ o Quilo'
Fotografia 'Subir'
Fotografia 'Voos comuns #1'
Fotografia 'Aponta'

Fotografia da perfomance "Viseu a 1 do 6", onde fui actor e fotógrafo.

Fotografia 'Isto sou eu'

"Isto sou eu", uma fotografia sobre de Património.

Fotografia 'Guarda-Chuva'
Fotografia 'JIM'

Fotografia do espectáculo "JIM", com coreografia de Paulo Ribeiro.

Fotografia 'Casa Eunice'

Uma das fotografias da exposição integrada no projecto "Rua Direita, Esta Rua Não Acaba Aqui".

Fotografia 'Fetos'
Fotografia 'Em Coimbra'
Fotografia 'Bispo Alves Martins'

"Bispo Alves Martins", uma fotografia parte de raízes constantes, 1.º lugar no Viseu Patrimonium'09.

Fotografia 'Rio'
Fotografia 'Cisma'

"Cisma", fotografia criada no decorrer da 1.º Maratona Fotográfica Fnac Viseu. 1º lugar.

Fotografia 'Mocho'

"Mocho", uma foto-manipulação.

Fotografia

Tive a minha primeira máquina aquando da revolução digital e foi também a primeira lá de casa que não exigia rolos. Era um admirável mundo novo este que me dava a oportunidade de explorar, em sequências de 33 fotogramas, motivos que não se cingiam aos retratos da família em férias. Assim o fiz. Durante alguns anos explorei várias perspectivas e processos, mas só mais tarde me apercebi da verdadeira importância da fotografia.

Quase como uma epifania, dei-me conta que a minha verdade estivera sempre próxima. Ali, nos retratos de família. À distância de meia vida, olhar para aquelas imagens era olhar para a memória perpetuada. Já ninguém era assim, e no entanto ali estávamos, juntos. Na praia. Enquanto olhava podia ser inverno, mas o que sentia era verão. A brisa, o cheiro a salitre e pele áspera. Encantou-me.


Hoje acredito na fragilidade da fotografia. O seu manuseio deve ser cuidado. Aprendi os processos digital e manual e procurei melhores formas de captar não apenas o momento, mas aquilo que eu quero mostrar dentro dele. Procuro ainda. É a partir dessa crença que o resto do meu trabalho se expande nas várias vertentes. Conheça mais da minha fotografia no meu flickr.

Ilustração

O desenho surge desde muito cedo. Para mim tudo era desculpa para pintar e tudo era suporte. Chão, paredes, folhas. Comecei a pegar num lápis antes de me ensinarem a pegar num lápis, o que me iria valer muitos sermões na escola primária, "Não estás a fazer como deve ser!".

A primeira classe ocupava-me as manhãs, mas não as tardes que ficavam livres para brincar. Brincar significava muitas vezes desenhar e, recordo-me do dia em que, em casa de um amigo, desenhavamos dinossauros. Lagartos gigantes, por assim dizer. Lembro-me de regressar a casa - que fica a 3 minutos - cheio de orgulho do resultado e de o mostrar à minha mãe, mas a sua expressão foi apreensiva. Não me respondeu com "Parabéns", perguntou antes "Foste mesmo tu?". A estranheza foi de tal modo grande que só ao fim de um telefonema para o outro lado da rua a história se confirmou. Felicitações entregues, coração cheio. decidi então colar a obra na porta do meu quarto com super-cola três. Má ideia.


Cresci sem dúvidas à cerca do que queria fazer. Queria pintar. Eu quero pintar e tenho-o feito desde sempre, tentando aprimorar a técnica para corresponder às minhas próprias expectativas que parecem estar sempre um passo à frente das minhas mãos. Esta é uma curta mostra do meu trabalho, mais se pode encontrar na Behance Network.

'Mafalda', uma ilustração
'Joaquim', uma ilustração

"Joaquim", uma ilustração integrante da série Aldeia Estúpida.

'Laranja', uma ilustração

"Laranja", ilustração parte da exposição incêndio II

'Explosão', uma ilustração
'Vida de Mocho', uma ilustração

Ilustração integrante da exposição "Círculo"

'Old Weeding Hommage', uma ilustração
'Piano', uma ilustração
'Voz', uma ilustração
'A minha casa', uma ilustração digital

"A minha casa", uma ilustração digital.

'Arlípio e a Selva Lusa', uma ilustração digital

Ilustração para www.arlipioeaselvalusa.com, uma crónica de teor político.

'Sob os balões', uma ilustração digital

"Sob os balões", umas ilustração para o projecto Circo Girassol. (Modificado).

'O meu Coração', uma ilustração
Rugas, exposição no Lugar do Capitão

Rugas, trata-se de uma exposição que em 2010 esteve em exposição no Lugar do Capitão.

MTV Toy

Em representação do Fórum Viseu, este foi o meu MTV Toy que esteve em exposição por todo o país.

Exposição Andante, o grupo de 2010

Estes são os "Andantes" que em 2010 passearam 12 quadros pela R. Direita durante 1 hora.

a Jigsaw, álbum
a Jigsaw, álbum

a Jigsaw, design e ilustração do álbum e single.

Carrossel, capa do álbum de Azevedo Silva

Criação da capa ilustrada para o álbum Carrossel, de Azevedo Silva.

Cadernos Magnólia, livro

Paginação do primeiro número de "Cadernos Magnólia".

Cadernos Magnólia, Interior

Interior de "Cadernos Magnólia - Mulher Mim".

Cartaz de Incêndio II

Cartaz para a exposição incêndio II

Viseupédia, série regular

Criação da imagem gráfica da Viseupédia - 11 números da série regular

Arquivador Viseupédia

Criação da capa para o Arquivador Viseupédia

Viseupédia, série extra

Viseu - Turismo Acessível; 4 cromos da série extra.

Peter Pan, imagem gráfica

Criação da imagem para a peça Peter Pan. Esta é a frente do panfleto.

Peter Pan, imagem gráfica

Verso do panfleto. As dobras e o "aparecimento" de Wendi convidam à criação de um avião de papel.

A Jigsaw na Empório, Cartaz

Cartaz sobre a visita de A Jigsaw à Empório.

Design Gráfico

A minha afinidade à imagem sempre foi grande. Querer organizá-la, entendê-la, dispô-la da melhor maneira foi uma extensão natural.

A formação académica aprimorou alguns conhecimentos e ajudou a distinguir matérias. Desde então, tem crescido o interesse pelo grafismo e no que à sua estrutura e organização diz respeito. Atraem-me todas as nuances que, permanecendo invisíveis, sustentam o resultado final. Tenho aplicado esse conhecimento nos mais diversos formatos e tive a oportunidade de construir livros e criar linhas gráficas completas, seja para espectáculos, ou outros projectos. O percurso é ainda curto, mas até há data não me parece que existam respostas certas, apenas possibilidades mais seguras que outras. É preciso saber errar. O design procura a melhor solução para um problema, mas raramente se alcança sem solavancos. Dificilmente se alcança de todo, é necessária persistência.


Recentemente, com atenção obsessiva a cada detalhe, descobri a tipografia. É um novo fascínio. A personalidade que cada tipo de letra, apenas o seu símbolo, sem qualquer mensagem, pode ter, é incrível. Familiarizei-me com a linguagem e os seus conceitos já não passam em claro. Mais terá a dar esta paixão, por agora: Behance Network.

Videoart

24 fotografias por segundo era mais do que razão suficiente para experimentar com filme, mas há no movimento da película muito mais a explorar. A narrativa assume um protagonismo essencial e se o que me atraiu na fotografia foi a possibilidade de guardar momentos que nunca se voltarão a repetir, no vídeo existe a possibilidade de criar novos cenários e histórias. As possibilidades são infinitas e não há dedos que contem as diferentes correntes que surgiram no último século. Da minha parte o filme ainda é 98% mistério, mas de algo não tenho dúvidas: é a melhor ferramenta para guardar a nossa memória, seja ela pessoal ou colectiva. Foi com essa certeza e vontade que me aproximei de um registo de documentário como na obra "Tipografia Minerva da Beira". Espero continuar a fazê-lo.


Enquanto uma parte do vídeo se faz de registos e montagem, outra são portas abertas à criatividade e daí resultaram algumas animações ou stop-motions. No vídeo à direita, uma mostra-se "A Corda", curta-metragem realizada em apenas quarenta e oito horas, no âmbito de um concurso, mas que muito nos satisfez. Para mais recomendo uma visita ao meu vimeo.

Tudo em em www.musiquim.com

Musiquim

O Musiquim é um projecto criado para divulgar, essencialmente mas não exclusivamente, a música portuguesa. Inspirado em conceitos como a La Blogotheque ou Black Cab Sessions, leva as bandas para fora dos palcos mostrando-as numa luz diferente ao tocarem em sítios improváveis (desde jardins a casas-de-banho e carrosséis, etc.), com todas as condicionantes que isso implica e sem qualquer anúncio. O resultado é filmado e disponibilizado em www.musiquim.com.

Este projecto de valorização do património local, conta já com a participação de nomes como Dead Combo, Nuno Prata, Camané, entre outros.

Tudo em www.a-mediocre.blogspot.com

A Medíocre

A Medíocre, como marca e como coisa, nasce de uma necessidade de experimentação e de uma intenção clara de criar produtos/objectos para venda ao público. Sem um carácter específico, actua na área da imagem, mas expande-se para lá dela em diversos formatos, indo de simples marcadores de livros à reciclagem de frascos de ecoline para peças decorativas sob o tema de cantautores. A qualidade e originalidade são um objectivo – assumindo assim o antagonismo do próprio nome. Este é um projecto pessoal que se inspira no quotidiano, nos seus objectos e vivências, para criar algo diferente.

Saber mais em www.facebook.com/shortcutzxpressviseu

Shortcutz Xpress Viseu

O Shortcutz aparece pela primeira vez em Lisboa, com o intuito de ser uma plataforma de divulgaçâo às curtas nacionais. Um palco que dure durante todo o ano, em oposição à efemeridade dos festivais. O conceito vingou e hoje está presente no Porto, Barcelona, Madrid, Dublin, Amesterdão, Berlim, Londres e Viseu. Co-organizado com o indespensável Carlos Salvador, os dois somos os responsáveis pelo Shortcutz Xpress Viseu. Com residência no espaço "Só Sabão", procuraremos levar a curtas-metragens vinda de Portugal e do estrangeiro, quinzenalmente, a quem lá nos quiser visitar.


"Escreve uma biografia", penso. O ano em que nasci. 1987. Dizer 1987 é pouco, as biografias que conheço são sempre pouco. Deixe-me por isso, leitor, que me lance num exercício com real significado, que a importância é subjectiva, e as biografias são-no ainda mais.
Aos seis anos aprendi que não é boa ideia matar abelhas com as mãos, picam, e de mão inchada não é fácil desenhar, uma das minhas paixões de sempre. O fascínio pelos rabiscos e ilustração cedo ganhou destaque, fosse pelos concursos que ia vencendo - o boné do Dragonball foi o meu orgulho de infância - fosse por parte dos meus pais, que muitas palmadas me deram depois de riscar uma paisagem na porta de um carro. Foi assim, cresci sem qualquer dúvida do que queria.

Anos passaram. Aos traços juntou-se a descoberta da música, não aquela que vinha do quintal do vizinho, mas aquela que me arrebatava o peito. Depois a fotografia. Mais tarde a poesia, que mais parecia parte de tudo aquilo junto. Foi a descoberta dos sentidos. É ainda. Seguiu-se a sua afinação. Estudos, novas técnicas, outros olhares, mais olhares, melhores técnicas e novos fascínios. A fotografia não tem que ser fixa: vinte e quatro por segundo, um filme. Os traços podem ser livres, mas tratados com consciência são outra coisa diferente. Dizer quem sou é dizer muita coisa ou não dizer nada. Digo 1987.



2014
- "Estas Estátuas" - Exposição de fotografia exibida no Palácio do Gelo, Viseu (Julho) e no Orfeão de Viseu (Agosto);
- "Coreografia para um Rossio" - Participação com quatro fotografias, exposição colectiva realizada no Teatro Viriato;

2012-1013
- Exposição "João Torto" - Duas obras expostas no Teatro Nacional Dona Maria II, Lisboa;
- Presença no Museu do Falso (Viseu) com uma obra acerca de João Brandão;
- "Pinholing (While in MGV) - Participação com duas fotografias Pinhole. Museu Grão Vasco, Viseu;
- Exposição de Fotografia Estenopeica - Participação com dois fotogramas. Museu Grão Vasco;
- "In Vulgar" - Exposição de fotografia nos Jardins Efémeros 2012, Viseu;
- "Aldeia Estúpida" - Exposição de ilustração no Noites Diurnas De Um Par De Dois, Viseu;
- Exposição "Andante III" - Participação com duas foto-montagens. Rua Direita, Viseu;
- "Círculo" - Exposição de ilustração. Escola Superior de Tecnologia, Viseu;
- "Aldeia Estúpida" - Exposição de ilustração no Auditório Carlos Paredes, Vila Nova de Paiva;
- "Rua Direita, Esta Rua Não Acaba Aqui" - Exposição de fotografia integrada no projecto homónino. Foto Batalha, Viseu;
- "Sangue na Guelra" - Participação com duas ilustrações, exposiçao colectiva realizada no Teatro Viriato;
- "Viseu-Lisboa" - Exposição de fotografia. Escola Superior de Tecnologia, Viseu;
- "Estas Estátuas" - Exposição de fotografia. Tesouro da Misericórdia, Viseu;


2010-2011
- "V ViseuSkecthCrawl" - Participação com uma ilustração na Fnac Viseu
- Exposição "Andante II" - Participação com duas ilustrações. Rua Direita, Viseu;
- Exposição "MTV Toy" - Participação com um Toy, entre Fev. e Jul. de 2011 nos Fóruns de Almada, Montijo, Guimarães, Viseu, Coimbra, Aveiro, Algarve, Sintra, Madeira, no Espaço Guimarães e nos Armazéns do Chiado;
- "Encontro Fotográfico" - Participação com duas obras seleccionadas. ESE Viseu;
- Exposição "Seres Vivos" - Participação com três fotografias. Lugar do Capitão, Viseu;
- Exposição "Andante" - Ilustrações distribuidas por 10 lojas da Rua Direita, Viseu;
- "Rotina" - Exposição de ilustração na Casa da Cultura de Sta Comba Dão;
- Visitas em Casa - Participação com 3 peças, na Empório, Viseu;
- "A Expressão" - Exposição de fotografia. Puro Café, Viseu;
- "Vem Viajar Comigo" - Exposição de ilustração no Auditório Vila Nova de Paiva;
- "Rugas" - Exposição de ilustração. Lugar do Capitão, Viseu;
- "Uma Forma Para Voar" - Exposição de ilustração no Puro Café, Viseu;
- "Poesia 24" - Exposição de ilustração digital no EAC - Pauta Humana, Águeda.


2008-2009
- "Ensaio Sobre um Afecto" - Exposição de ilustração. ESTGV, Viseu;
- "Incêndio II" - Exposição de ilustração. Percorreu três locais: Casa da Cultura de Sta Comba Dão; Puro Café, Viseu; Instituto Superior Politécnico, Viseu.
- "Raízes Constantes" - Exposição de fotografia. Fnac Viseu;
- "Vem Viajar Comigo" - Exposição de ilustração. Biblioteca Municipal de Castro Daire;
- Colectiva da Primavera - Participação com 3 peças, na "A Filantrópica", Póvoa de Varzim;
- "Neblina" - Exposição de fotografia analógica. Puro Café, Viseu;
- "Estrela de Jardim" - Exposição de ilustração. Escola Superior de Tecnologia, Viseu;
- Exposição de fotografia anexa à peça de teatro Luar 21 - Instituto Piaget, Viseu;
- "Incêndio" - Exposição de ilustração. Obviamente Bar, Viseu.


2003-2007
- "Vem Viver Comigo para o Fundo do Mar" - Exposição de ilustração na ESE de Lamego;
- Exposição de Ilustração - Internato Vitor Fontes, Viseu;
- "Meia Noite e Vinte e Cinco" - Exposição de ilustração. ESTGV, Viseu;
- Exposição de Desenho e Pintura - Hospital S. Teotónio, Viseu.
- Exposição de obras no Teatro Viriato de Viseu por dois 2 anos consecutivos, no âmbito da disciplina de Oficina de Artes.



- "Rua Direita, Esta Rua Não Acaba Aqui" (2013), projecto de reabilitação da Rua Direita, integrado nos Jardins Efémeros. Fotografia.
- "Girazine" (Revista de distribuição gratuita): n.º0 (2012), n.º1, n.º2 (2013). Ilustrações de capa.
- "Centro" (2013), Mutante (Revista de distribuição gratuita). Ilustração e poesia.
- "Emergir" (2012), Medíocre. Livro de fotografia e poesia.
- "Bisca", Ferramenta (2012). Fotografia.



Acede ao meu curriculum vitae:

Download do CV de Luís Belo português (pt)
- "Melhor Fotografia'13", atribuída pelos prémios anuais Anim'arte, 2014;
- 2.º Classificado na "5.ª Maratona Fotográfica Fnac Viseu", 2013;
- "Grande Prémio", "Melhor Cartaz", "Melhor Curta" e "Melhor Fotografia" atribuídos ao grupo (Ana Seia, L Filipe dos Santos, Tiago Ribeiro e Luís Belo) no concurso 48 Shortmedia, 2013;
- 1.º Classificado no no Concurso de Fotografia "Viseu Patrimonium'13";
- 1.º Classificado no "Reflexos da Liberdade", promovido pela FNAC Portugal em colaboração com a Canon, 2013;
- 1.º Classificado no "Concurso de Fotografia da Feira de São Mateus'12". Modalidade de cor;
- Jurado na 3.ª edição do Festival Vistacurta'12;
- Vencedor do "Melhor Documentário" no VistaCurta'11, com "Tipografia Minerva da Beira".
- Escolhido para colorir o MTV Toy pelo Forum Viseu, em 2010;
- Vencedor da "Melhor Animação" e "Prémio do Público" no VistaCurta'10 com "765/60 Viseu";
- Jurado na 2ª edição da "Maratona Fotográfica Fnac Viseu", 2010;
- 1.º Classificado na "1.ª Maratona Fotográfica Fnac Viseu", 2009;
- 1.º Classificado no Concurso de Fotografia "Viseu Patrimonium'09";
- 1.º Classificado no Concurso Nacional de Webdesign promovido pelo Jornal Ensino Magazine;
- Recebeu o prémio de "Melhor Aluno", atribuído pela CGD aos dois melhores alunos universitários da respectiva escola. 2008;



Qual teia de aranha, a minha presença estende-se por algumas redes sociais, onde de alguma forma participo e procuro estar activo. Faz-se a lista, mas sobretudo o convite a uma visita.

Blogue Flickr Facebook 1x Oneeyeland Twitter Behance Network Vimeo 500px Linked In Colour Lovers We Heart It



Mensagem:

Nome:

Email:

Website:

e-mail: bomdia@luisbelo.com
tel. (+351) 96 6016 888



— Ó Luís, o que é que tu fizeste? — questionava a voz profunda sabendo já a resposta — Achas bonito? Achas?! — o tom repreensivo não agourava nada de bom. A criança permanecia quieta. Deixara cair a pedra que tinha na mão e fixava os olhos nela, encolhido. A voz continuava: — Olha-
-me para este serviço. Dá cá a mão! — A criança não dava — Dá a mão ao pai, já! — a criança estendeu a mão receosa. Zás! Sem tempo para esboçar reacção já um valente estalo rompia o ar. A mão latejou por mais alguns minutos, mas a lição estava dada. Desde aquele dia que eu, gaiato e rapaz, não voltei a desenhar num carro.